Branding: 10 Passos para Fortalecer Sua Marca nas Redes Sociais

branding-nas-redes-sociais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A importância do branding para qualquer negócio dispensa comentários. Não é apenas o “uniforme” que você veste para retratar a sua empresa, é uma forma de ser. Criar uma identidade de marca corretamente ajuda a atrair seu público-alvo sendo você mesmo, além de também atrair novos clientes ao longo desse caminho.

Quando se trata do branding do seu negócio nas redes sociais, você tem ainda mais aspectos para dar conta. Desenvolver e manter um branding nas redes sociais pode vir a ser um verdadeiro trabalho, desde criar e agendar o conteúdo a ser publicado até se engajar e atender ao seu público.

No entanto, você não precisa se preocupar. Com a orientação certa, colocar seu negócio nas principais redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter pode ser uma tarefa um pouco menos “dolorosa”, ainda que dolorosa.

Abaixo mostramos os 10 passos necessários para começar seu branding nas redes sociais:

01. Defina seu público

Quando você começou seu próprio negócio tinha uma tonelada de coisas para fazer. Desde criar seu logo até aprender noções básicas de contabilidade (e muito mais!), você já alcançou muita coisa para ter chegado até onde está hoje. Agora é o momento de aplicar todos os aspectos práticos do que já fez à sua estratégia para as redes sociais.

Você já preparou o terreno para identificar seu público-alvo. Esse já é um bom começo para saber qual o público que você quer alcançar através do branding das suas redes sociais, pois não deve haver diferenças muito gritantes entre ambos. Conhecer o público que você está tentando atender ajuda a desenvolver a identidade da marca que irá repercutir neles.

Precisa de ajuda? Fazendo uma rápida busca na internet, é possível encontrar pesquisas confiáveis e obter um grande “insight” do uso das redes sociais em diversos perfis demográficos. Depois de ter uma ideia sobre quais as redes sociais mais usadas pelo seu principal público-alvo, você até pode ampliar seu público para ter um maior alcance. No entanto, prossiga com cautela. Lançar uma rede grande demais não garante que você vai conseguir “fisgar” os novos consumidores que está desejando.

02. Escolha as redes sociais certas para seu público

Depois que você revisou o perfil demográfico do seu público na seção anterior, é hora de se certificar que você está nas redes sociais certas para alcançá-los.

Não é essencial estar presente em todas as redes sociais. Escolha aquelas onde seu público já está e onde você planeja publicar com frequência. É melhor não ter uma conta em uma rede social específica se não planeja manter uma presença forte.

No entanto, há uma exceção e ela é o Facebook. É a maior rede social do mundo e é inevitável que sua empresa tenha alguma forma de presença ali – não importa qual o seu mercado ou seu público.

Além da plataforma mais importante, há algumas redes principais que você deve levar em consideração para a sua presença online:

  • Twitter: excelente para conscientizar. Use hashtags para alcançar pessoas com interesses semelhantes que talvez não estejam no seu público-alvo.
  • LinkedIn: a rede “profissional” pode ser uma boa escolha se você trabalha no mercado B2B (business-to-business, onde seus principais clientes são outras empresas) ou se está visando um segmento específico de negócios. Os posts tendem a ser mais informativos do que divertidos e descontraídos.
  • Instagram: a plataforma de compartilhamento de fotos é muito útil tanto para a conscientização da marca como para a construção de relacionamentos. Inicialmente, os usuários eram pessoas mais jovens e criativas, mas hoje em dia está em quase todos os celulares, inclusive o da sua avó.

Claro que cada rede social tem suas próprias métricas, estatísticas, perfis demográficos, ferramentas e hábitos.

03. Crie contas comerciais nas redes sociais

Surpresa: contas “comerciais” nas principais redes sociais (como Facebook, Instagram e LinkedIn) oferecem mais recursos para as empresas. Por isso, se você ainda não tem, vai precisar criar contas comerciais nas redes sociais ou converter as contas que você já tem.

Esses tipos de contas não só permitem promover seus posts pagando, mas também te proporcionam ferramentas analíticas úteis para mostrar o desempenho dos seus posts e te dar uma melhor percepção sobre o seu público na plataforma.

Para ter a aparência mais legítima possível, você deve “verificar” sua empresa nas suas contas sociais. Isso mostra aos usuários que essa é a conta comercial “oficial” da sua marca. O processo para cada rede social vai ter orientações específicas a serem seguidas, mas pode confiar, vale todo o esforço e tempo que leva para realizar.

Mesmo se você ainda não tem conteúdo para compartilhar, pelo menos preencha seu perfil em cada rede social em que você criar uma conta. Isso inclui uma foto ou o logo da sua empresa, um link para seu site profissional e uma breve biografia do que trata seu negócio.

04. Crie uma persona

Seu próximo passo é criar uma persona para sua presença nas redes sociais. Chame da forma como quiser: identidade social, personalidade digital, alter ego 2.0 – o importante é que essa persona seja construído em total acordo com a mensagem da sua marca e que transmita tudo o que seu negócio simboliza. Por sua vez, isso vai afetar a forma como você responde às mensagens nas redes sociais e o conteúdo que produz para elas.

Encontre sua voz

Primeiro identifique a imagem que sua marca retrata para seu público-alvo da forma como ela é. Agora interprete esse personagem. Seja a imagem da sua empresa séria e profissional, sincera e honesta, ou divertida e engraçada, sua persona também deve estar alinhada com essas características. A consistência desempenha uma grande função no sucesso da rede social, mas não se limita apenas a publicar com frequência. Você precisa se certificar que, caso alguém faça a mesma pergunta tanto no Facebook quanto no Twitter, ambas as respostas recebidas pelo usuário devem ser igualmente atenciosas e manter o mesmo tom – apesar do limite de caracteres.

Se você está tendo problemas para identificar a persona para a sua marca, não há nada de errado em usar o modelo de uma pessoa de verdade, como uma celebridade por exemplo, desde que a personalidade esteja alinhada com o seu negócio.

Seja humano não importa o que aconteça

Não importa como você aborda a sua persona, é essencial falar com seus seguidores da forma mais “humana” possível. Você está falando em nome de uma marca, mas é importante que seus seguidores sintam que você está escutando suas preocupações e respondendo às suas perguntas como um ser humano faria, e não como uma empresa que está simplesmente querendo seu suado dinheirinho. Independente de você ter tido essa intenção inicialmente, são grandes as chances de também precisar atender o cliente nas redes sociais.

Uma outra forma para humanizar a sua marca é usar posts de pessoas que trabalham na sua empresa. Isso dá um rosto à sua marca, humanizando-a. Você pode ir ainda mais longe, e ter um porta-voz dedicado a ser o rosto da sua marca nas redes sociais, ainda que isso seja vital. Dito isso, mostrar nos seus posts diferentes pessoas que trabalham para a sua empresa pode dar uma ideia “dos bastidores” da sua empresa o que pode repercutir nos seus seguidores.

Não negligencie o branding visual

Já falamos bastante sobre alinhar seu negócio e seu branding em termos de personalidade, mas não termina por aí. Não se esqueça de seu branding visual, incluindo as cores usadas e as imagens que você publica nas redes sociais. Obviamente, isso também vai depender do tipo de conteúdo que você está planejando publicar, e abordaremos esse assunto mais abaixo. De toda forma esse é um aspecto que vai se fortalecer à medida que você for avançando.

Um exemplo fantástico de branding visual realizado corretamente é o caso da “Innocent Drinks”. Pulando das suas páginas no Facebook para as suas contas tanto no Twitter como no Instagram, encontra-se um estilo visual muito consistente entre elas. Desde as imagens de capa em cada conta até o uso de diagramas de venn ao apresentar uma nova bebida, passando pelo tipo de fonte usada nas imagens, tudo aqui mostra que uma forte personalidade da marca também pode ser levada para os elementos visuais.

Sua marca nas redes sociais: exemplo de branding visual

05. Desenvolva conteúdo impecável

Você chegou agora no ponto em que deve sentar e elaborar o conteúdo que vai publicar regularmente. Por ser essa a essência da sua estratégia para as redes sociais, não é algo que você possa fazer rapidinho e esperar ser bem sucedido.

Também é importante compreender algumas coisas sobre o conteúdo que você solta nas redes sociais: uma é que nem todos os seus posts precisam ser necessariamente sobre o seu negócio. Uma parte do marketing de conteúdo é proporcionar um conteúdo que pode não ser diretamente relacionado ao produto ou serviço que a sua empresa oferece, mas ainda assim agrega valor ao seu público. Valor agregado é a chave! Seus posts podem ser links para artigos em blogs como o nosso, ou qualquer outro tipo de conteúdo cativante, como infográficos, depoimentos e outros mais. Independente do tipo conteúdo, ele deve combinar com o tom e a persona do seu negócio, da maneira que você definiu previamente.

Um outro caminho que pode ser útil é pedir aos usuários que forneçam conteúdo para você. Claro que não é tão fácil quanto parece. Isso é conhecido como Conteúdo Gerado pelo Usuário (ou UGC – user-generated content em inglês). Este estilo de publicação pode ter muito sucesso quando sua página já tiver conseguido um maior número de seguidores, mas essencialmente trata-se de encorajar seus clientes a fotografar ou gravar um vídeo com o seu produto, dando uma ideia da forma como o utilizam. Um outro método de UGC é pedir aos seus consumidores ou fãs para gravarem o que fazem para ganhar a vida, seus hobbies, etc. e como o seu negócio consegue ajudá-los de uma forma ou de outra. Por sua vez, você não apenas recebe um feedback valioso e que pode mudar muita coisa, mas também pode publicar o conteúdo do seu usuário no seu perfil. Saem todos ganhando!

Para trabalhar com conteúdo gerado pelo usuário, você deve estabelecer regras rígidas sobre o conteúdo que você vai usar, e como ele pode ser usado em seu marketing. Dessa forma, você evita dores de cabeça tanto para você, quanto para seu usuário.

Precisa de um exemplo de excelente UGC e de um usuário incrível de uma forma geral? É assim que nós fazemos aqui no Wix:

Está preocupado de não ter conteúdo suficiente a longo prazo? Não precisa se preocupar. Com o tempo, vai ficando mais fácil, principalmente depois que você já estiver fazendo isso há algum tempo. Uma vez que consiga ter o olho treinado para seu público e sua identidade de marca, encontrar ou desenvolver conteúdo para suas redes sociais não vai ser a tarefa árdua que parecia no início.

Lembre-se que certos conteúdos, depois de um tempo, podem ser reutilizados ou adaptados em posts diferentes, enquanto outros conteúdos são relacionados a um momento específico e só podem ser usados uma vez. Ainda está perdido? Veja as redes sociais dos seus concorrentes e de outras marcas que você admira para ver o tipo de conteúdo que está sendo publicado diariamente. Se você conseguir ter algum sucesso equiparando um destes posts à sua marca, então vá em frente!

06. Crie uma agenda de publicações para redes sociais

Depois que tiver acumulado conteúdo suficiente para algumas semanas (sim, algumas semanas, mas meses seria ainda melhor), você deve organizá-lo em um formato de calendário para as redes sociais que possa facilmente ser consultado. Isso vai permite identificar facilmente quais posts vão ser publicados, a que horas e para qual rede social.

Se você quiser ser super eficiente, pode usar ferramentas como Buffer ou Hootsuite para criar um calendário de publicação e agendar seu conteúdo para ser publicado automaticamente nas suas redes. Essas plataformas não apenas proporcionam um lugar para facilmente criar seu calendário, como também vêm com suas próprias ferramentas analíticas das quais você pode tirar proveito.

Ao criar seu calendário, é importante ser consistente quanto ao número de vezes que você planeja publicar em cada rede social.

O ideal para conseguir o melhor engajamento é publicar como mostrado a seguir:

Facebook: 1 post por dia

Instagram: 1-2 posts por dia

Twitter: 15 Tweets por dia

LinkedIn: 1 post por dia

Pinterest: 11 pins por dia

Foram levados em consideração os dados encontrados em 14 estudos que pesquisaram os números acima, apesar de que alguns números estudos variaram bastante.

Se você não conseguir alcançar o mínimo ou o número de posts sugeridos por dia, isso também não é o fim do mundo. Foque na qualidade do post e na consistência e, à medida que der, vá aumentando o número de posts.

07. Amplie a consciência de marca com publicidade

Promover seus anúncios nas redes sociais é uma excelente forma de atrair a atenção do seu público. Não é vergonha nenhuma nisso – é para isso que as redes sociais estão aí.

Apesar da promoção de um post ser uma forma rápida para conseguir atrair o olhar das pessoas para seu anúncio e seu perfil social, talvez você queira esperar um pouco no início antes de começar a anunciar. Imagine ver um anúncio bem orientado no Instagram, mas encontrar apenas dois posts na conta quando você decide visitar o perfil do anunciante. Teoricamente, não há nada de errado nisso, mas transmite uma mensagem de que a conta é muito nova e não inspira a mesma confiança que uma conta já mais estabelecida e com muitos seguidores.

Após publicar regularmente durante algumas semanas, tendo um amplo conteúdo a oferecer aos seguidores, você pode pensar em promover seu primeiro post. Dessa forma, um novo cliente em potencial pode ver seu perfil e encontrar um número substancial de posts com os quais pode se engajar. Quanto mais conteúdo você tiver para as pessoas consumirem, maiores as chances delas se direcionarem diretamente para seu site ou para suas outras redes sociais.

08. Trabalhe com influencers das redes sociais

Trabalhar com influenciadores das redes sociais é uma outra forma de atrair a atenção de possíveis clientes, exatamente como anunciar nas redes sociais – é o chamado marketing de influência. É uma forma indireta, que parece mais natural a quem visualiza, pois trata-se de uma pessoa falando sobre o seu produto ou serviço, e não você fazendo um discurso de venda.

Encontrar o influenciador certo para trabalhar com você pode levar um tempo. Para seguir esse caminho você precisa pesquisar bastante sobre um influenciador específico e ver se o público dele é semelhante ao seu ou se é um outro público que você quer alcançar. Não tente se conectar com um influenciador que nitidamente tem um público muito diferente do seu, só porque você é fã pessoal dele. Claro, se é isso que você quer, vá em frente. Mas não espere um monte de conversões nesse processo.

Também não é importante garantir que esteja trabalhando com o maior e mais popular dos influenciadores que você possa conseguir. Um outro caminho muito popular, pelo qual você pode seguir, é usar micro influenciadores que têm menos seguidores, mas que podem ter um fortíssimo impacto neles. Eles atendem a um nicho específico que pode ser muito útil para você, caso considere que vocês estão alinhados da maneira correta. Não importa quem você vai escolher, mas deve ser alguém com quem consiga ter uma parceria natural.

09. Interaja com os seus seguidores

Criar a sua marca nas redes sociais não se trata apenas de publicar conteúdo. Seus seguidores precisam ser tratados como uma comunidade, e isso inclui se engajar com eles regularmente. Como qualquer relacionamento, esse também é uma via de mão dupla. Você precisa se envolver com eles também! A forma como as redes sociais funcionam privilegia os posts que têm maior engajamento, que são exibidos a outras pessoas se forem relevantes para elas, o que é excelente para você.

Está realmente procurando dar uma melhorada nas suas taxas de engajamento? A febre do momento é o “Live video”. Seja Facebook, Twitter ou Instagram, uma transmissão ao vivo abre uma via de duas mãos para a comunicação em tempo real. Aproveite esse tempo para mostrar novos produtos, promover uma sessão de perguntas e respostas para seus seguidores, ou simplesmente bater um papo. Estar à disposição do seu público através de um stream ao vivo mostra quanto você os preza, os valoriza e está disposto a dedicar cada minuto desse tempo a ele. Além disso, dá à sua marca uma cara de humanidade, que o grande objetivo da sua presença nas redes sociais.

Os perfis de muitas marcas nas redes sociais falham devido a um desempenho ruim. Algumas por que seu conteúdo é fraco, ou por que publicam de forma inconsistente, ou ainda por que têm pouquíssimo engajamento com o público. Se você publica constantemente conteúdo irrelevante ou desinteressante, seu público (neste caso, os poucos heróis que ainda não abandonaram o barco) provavelmente não se importa se você se engaja ou não, já que você não lhes dá valor. Se publica conteúdo de qualidade consistentemente, mas não responde aos comentários, não coloca questões para o público ou não está ativo nos fóruns, então você está fazendo tudo errado.

Sim, é verdade que você tem um negócio para administrar e pode parecer meio idiota investir tanto tempo nas redes sociais. Entretanto, para uma empresa, as redes sociais podem ser uma ferramenta valiosa. Trate-as como tal! Procure sempre tirar o máximo de qualquer situação, não importa as circunstâncias e, se possível, divirta-se com a situação. Um exemplo engraçado pode ser encontrado no Twitter da Netflix, que frequentemente precisa esclarecer o gênero da marca – afinal, é O Netflix ou A Netflix?

Sua marca nas redes sociais: o exemplo da Netflix

10. Preste atenção às métricas usando as ferramentas de análise

Saber o que funciona e o que não funciona é uma grande parte do fortalecimento da sua marca nas redes sociais. Da perspectiva do conteúdo, algumas coisas são óbvias: posts com conteúdo visual quase sempre têm desempenho melhor que posts só com texto. Mas nem sempre é assim tão preto no branco. Para ir mais fundo, e ver seus sucessos e fracassos de uma forma clara e calculada, é bom se voltar para a magia das ferramentas de análise.

Qualquer rede social que se preze oferece algum tipo de ferramenta de análise. Essas ferramentas oferecem uma percepção sobre como seus posts estão se saindo, permitindo que você tente repetir o que foi bem sucedido e evitar fracassos no futuro. Você também pode ter uma ideia de qual o melhor horário para publicar na respectiva rede social, e ajustar seu calendário de acordo com isso, além de inúmeras outras possibilidades.

Se você não se apaixonou pela ideia de verificar individualmente cada rede social para ter os dados de análise, ou você supera isso e vai em frente ou então procure algumas das ferramentas externas de análise de redes sociais que estão disponíveis. Ferramentas como Buffer e Hootsuite têm muitos truques escondidos e oferecem ferramentas de análise, o que é muito útil se você já usa uma das plataformas para o agendamento de posts para o seu calendário.

Precisa de um site para atrair novos clientes? Fale conosco!

Compartilhe esse post com seus amigos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Gostaria de Impulsionar seu Negócio?

Crie hoje mesmo seu site ou loja virtual e coloque sua empresa no próximo patamar.

Shopping Basket